Avaliação do potencial erosivo de balas duras

Maria Mercês Aquino Gouveia Farias, Bruna Luiza Maximo Ramos, Eliane Garcia da Silveira

Resumo


Introdução: O consumo excessivo e frequente de alimentos ácidos está associado à etiologia da erosão dental. Objetivo: Avaliar o potencial erosivo de balas duras. Materiais e Métodos: Adquiriu-se em supermercados as balas TicTac® (maçã-verde/maracujá), Halls XS® (Mentho Lyptus e Strong Lyptus), Mentos® Kiss Mint (menta) e Mentos® Kiss Fruit® (morango). Triturou-se as balas e do pó resultante, coletou-se três (3) amostras de 15g gramas de cada sabor. Dissolveu-se cada amostra de pó em 30mL de água destilada. Este processo permitiu a leitura em triplicata do pH e acidez titulável. Mensurou-se o pH utilizando um potenciômetro e eletrodo combinado de vidro. Verificou-se a acidez titulável, adicionando-se à solução alíquotas de 100 μL de NaOH 1M, até o pH alcançar 5,5. Este procedimento foi realizado para cada um dos sabores. Submeteu-se os resultados à Análise de Variância (ANOVA) e as comparações das médias ao teste Tukey, em um nível de 5% de significância (p<0,05). Resultados: Dentre as balas analisadas apenas o sabor Mentos Kiss Mint® (menta) apresentou valor de pH superior a 5,5 (6,30), diferindo significantemente dos demais. As demais balas apresentaram valores de pH variando entre2,50 a2,85. A acidez titulável variou entre 400 µL a 4800 µL de NaOH 1N para alcançar pH 5,5. Os sabores Mentos Kiss Fruit® (morango) e Tic–Tac® (maçã Verde e maracujá) apresentaram acidez titulável significativamente mais elevada que os demais sabores. Conclusão: A maioria das balas analisadas apresentou potencial erosivo e seu consumo frequente pode contribuir para o desenvolvimento da erosão dental. 


Texto completo:

PDF
gosip rumahan berita terkini windows gadget toko game