Adaptações em escovas dentais para pacientes com distúrbios motores: relato de caso

Renato Magalhães Costa, Fellipe Moraes Pereira Figueiredo, Lorena Castro Mariano, Antônio Márcio Marchionni, Roberta Santos Tunes, Viviane Maia Barreto de Oliveira

Resumo


Objetivo: O objetivo desse trabalho é discutir adaptações de escovas dentais para pacientes com distúrbios motores, através de um relato de caso de um paciente com Doença de Wilson. Descrição do caso: Paciente de 32 anos, sexo masculino, procurou a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (Salvador, Bahia) para atendimento odontológico. Na anamnese, relatou ser portado da doença de Wilson e cirrose hepática. Apresentava tremor do membro superior direito, o que dificultava a escovação dentária. A adaptação de escova selecionada para o paciente foi a manopla de bicicleta associada à silicona de condensação. Uma manopla de borracha antiderrapante foi preenchida com silicona de condensação pesada (Elite HD+, da Zhermack), com cuidado para evitar a penetração de ar. Uma escova dentária (Colgate 360, da Colgate) foi introduzida na silicona dentro da manopla, e esperado o tempo de vulcanização do material. A manopla permite um maior controle da escova pelo paciente por aumentar o calibre do cabo da escova (tornando-o mais volumoso) e por ser antiderrapante. A silicona estabiliza a escova no dispositivo, mas permite, com um movimento de tração firme, a substituição regular da escova. Conclusão: Através de adaptações específicas em escovas dentais, pode-se conseguir uma melhora na qualidade de escovação, na motivação e na autoestima do paciente.


Texto completo:

PDF