Detecção de calcificação da artéria carótida em radiografias panorâmicas: levantamento na população goiana

Isadora Oliveira Costa, Jéssica Oliveira Luiz Damasceno, Thailline Cristina Assis, Thaís Silva Mendonça, Juliano Martins Bueno, Thiago Oliveira Sousa, Mayara Barbosa Viandelli Mundim-Picoli

Resumo


Objetivo: Investigar a prevalência de imagens compatíveis com calcificação da artéria carótida (CAC), como achado incidental em exame por imagens panorâmicas na população Goiana. Métodos: Foram analisadas radiografias panorâmicas digitais obtidas de pacientes com idade igual ou superior a 40 anos, de ambos os gêneros, encaminhados ao serviço de radiologia de clínica particular. Dois examinadores, com conhecimento em radiologia, analisaram a presença de áreas radiopacas circunvaladas, na altura das vértebras C3 e C4, com angulação de 45 graus formada com o ângulo da mandíbula, sugestivas de CAC. Resultados: Foi encontrada uma prevalência de 14,1% de CAC na população estudada. Além de observado um risco mais elevado de desenvolvimento de CAC em pacientes com idade superior a 55 anos (OR=1,82). Houve diferença estatisticamente significante entre a presença de CAC e gênero (p=0,003). A concordância entre examinadores foi considerada muito boa (K=0,89). Conclusões: Observou-se que CAC apresentou uma prevalência considerável, sendo a radiografia panorâmica um método com potencial para detecção da presença de CAC, devendo o cirurgião-dentista atuar na prevenção e diagnóstico de pacientes em grupo de risco de eventos cardiovasculares e vasculocerebrais.


Texto completo:

PDF