Reconstrução de mandíbula com retalho livre da fíbula em um caso de ameloblastoma

Fabrício Rezende Amaral, Thalita Andreza Rios, Patricia Alves Drummond de Oliveira, Carlos Henrique Bettoni Cruz de Castro, Gustavo Meyer de Moraes, Soraya de Mattos Camargo Grossmann Almeida, Antônio Albuquerque de Brito

Resumo


Objetivo: Relatar um caso de ameloblastoma na mandíbula, do tipo histológico plexiforme, com remoção completa da lesão e reconstrução com enxerto livre da fíbula. Materiais e métodos: Paciente do sexo feminino, 19 anos de idade, ASA I, atendida na Clínica Odontológica da Faculdade de Estudos Administrativos (FEAD), em Belo Horizonte, queixando-se de inchaço e incômodo na mandíbula do lado direito. O diagnóstico foi dado por exames clínicos e radiográficos e confirmado pelo exame anatomopatológico, que indicou ameloblastoma do tipo histológico plexiforme. O tratamento foi a hemimandibulectomia por meio do acesso submandibular do lado direito e reconstrução da área removida com enxerto livre da fíbula da paciente. Resultados: Remoção total da lesão com margem de segurança, reconstrução mandibular com placa óssea removida da fíbula. No pós-operatório foi realizada a laserterapia para melhor cicatrização e encaminhamento para tratamento fonoaudiólogico para ajudar na fonética e recuperação da função muscular, devido à excisão do nervo alveolar inferior, que teve como consequência uma parestesia definitiva comprometendo a fonética e a função. A paciente encontra-se há 2 anos sem sinais de reaparecimento do tumor e ausência de alterações funcionais. Conclusão: O tratamento adequado para este tipo de lesão neoplásica é controverso e sua indicação deve ser individualizada. A ressecção marginal é o tratamento mais seguro por remover completamente a lesão, determinar a cura por longo prazo e favorecer menor taxa de recorrência. A reconstrução mandibular com fíbula é considerada padrão-ouro por apresentar benefícios trans e pós-operatórios, levando-se em consideração riscos, benefícios e impacto na qualidade de vida do paciente.


Texto completo:

PDF