Avaliação por TCFC do transporte do canal radicular após o uso de diferentes sistemas rotatórios de NiTi

Gustavo Silva Chaves, Vinicius Caixeta de Sousa, Marco Antônio Zaiden Loureiro, Giulliano Caixeta Serpa, Maria Luiza Lima Santana, Orlando Aguirre Guedes

Resumo


Objetivo: o objetivo do estudo foi avaliar a ocorrência de transporte do canal radicular após o preparo com instrumentos de níquel-titânio (NiTi) de rotação contínua, por meio do exame de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Material e método: Canais mesiovestibulares e mesiolinguais de vinte molares inferiores humanos foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos experimentais (n=10), de acordo com o sistema rotatório de NiTi: Grupo 1 – BioRace; e Grupo 2 - ProTaper Next. Imagens de TCFC foram obtidas antes do preparo do canal radicular (TCFC 1) e após o uso dos instrumentos BR2 (#25/.04) e X2 (#25/.06) (TCFC 2) e BR5 (#40/.04) e X4 (#40/.06) (TCFC 3). Dois examinadores avaliaram todas as imagens determinando a ocorrência ou não de transporte do canal radicular. Foram estabelecidos 3 níveis para a mensuração nas imagens: 1-2 mm aquém do vértice radicular (terço apical); 3-4 mm aquém do vértice radicular (terço médio); 4- 2 mm abaixo da furca (terço cervical).Os dados foram analisados utilizando o teste de Kruskal-Wallis com pós-teste de Dunn para comparações múltiplas.O nível de significância foi de 5%. Resultados:Os canais radiculares preparados com o sistema BioRace não apresentaram transporte (P<0,05). Foi observado transporte apenas no terço apical do canal mesiovestibular após o uso do instrumento ProTaper Next X4 (#40/.06) (P<0,05). Conclusão: O sistema BioRace permitiu a ampliação dos canais mesiovestibular e mesiolingual de molares inferiores até o diâmetro cirúrgico 40 sem resultar em transporte do canal. 


Texto completo:

PDF