Ação cariostática de selantes ionoméricos aderidos ao esmalte com sistemas adesivos autocondicionantes simplificados

Murilo Sousa Guimarães, Elen Massaro Nunes, Thaís Manzano Parisotto, Mariane Emi Sanabe, Gabriela Santos Reis Adrega Moura, Josimeri Hebling

Resumo


O objetivo desse estudo foi investigar a perda mineral do esmalte não desgastado ao redor de selantes ionoméricos aderidos por sistemas autocondicionantes. Trinta e dois incisivos bovinos foram distribuídos em 3 grupos segundo o tratamento da superfície de esmalte: Prompt (Pr), Xeno III (Xe), Vitremer Primer (VP) e um outro grupo (controle) utilizando resina composta (RC). Após o tratamento do esmalte, um cilindro de ionômero de vidro Vitremer foi construído, com exceção do grupo RC, onde foi utilizado o compósito Z250. Os espécimes foram submetidos à desafio cariogênico e seccionados, ao final do mesmo, para realização de testes de dureza. Edentações foram realizadas em 3 regiões para cada uma das faces incisal e cervical, até a profundidade de 300 μm. Apenas para o grupo RC foi observada perda mineral significante na região externa à margem esmalte-resina. Nessa mesma região, a comparação dos grupos (testes de Mann-Withney) demonstrou que os maiores valores de perda mineral foram obtidos para o grupo RC, enquanto nenhuma diferença foi observada para VP, Pr e Xe. Pôde ser concluido que a utilização de sistemas adesivos autocondicionantes simplificados não afetou de forma adversa o efeito cariostático do cimento de ionômero de vidro modificado por resina aplicado ao esmalte não desgastado.


Texto completo:

PDF