A importância da prática de alimentação, higiene bucal e fatores sócio-econômicos na prevalência da cárie precoce da infância em pré-escolares de Itatiba-SP

Thaís Manzano Parisotto, Carolina Steiner-Oliveira, Cintia Maria Souza-e-Silva, Maria Eliana Cruz de Almeida, Lidiany Azevedo Rodrigues, Marinês Nobre-dos-Santos

Resumo


Objetivo: Verificar o efeito da dieta, incluindo hábitos de aleitamento, da higiene bucal e dos fatores sócio-econômicos na prevalência da cárie precoce da infância em crianças de 3-4 anos de Itatiba-SP.

Material e método: A amostra foi constituída por 288 crianças, de 3 a 4 anos, as quais freqüentavam pré-escolas públicas do município de Itatiba-SP. Exames clínicos para determinação da presença de biofilme dentário e do índice de cárie foram realizados por uma cirurgiã-dentista calibrada (Kappa=0,78). Para avaliação da dieta foi empregado um diário alimentar, enquanto hábitos de aleitamento, higiene bucal, etnia, renda familiar e escolaridade materna foram avaliados por questionário. Os dados foram analisados pelo teste qui-quadrado/exato de Fischer, seguido de regressão logística múltipla (α=0,05) expressa por razão de chances (odds ratio -OR).

Resultados: A ingestão de açúcar na forma sólida 3 ou mais vezes ao dia (OR=4,5), a amamentação não exclusiva no peito por 12 meses ou mais (OR=2,0), a presença de biofilme dentário nos incisivos superiores (OR=3,1) e o fato de levar lanche para consumir na escola (OR=2,1), além da merenda, apresentaram associação significativa com a cárie precoce da infância (p<0,05). Já os fatores etnia, escolaridade, renda familiar e freqüência de higiene bucal não se mostraram estatisticamente significativos (p>0,05).

Conclusão: Os dados sugerem que a exposição freqüente aos açúcares na forma sólida, a presença de biofilme dentário e o fato de levar lanche para escola, principalmente os cariogênicos, são indicadores de risco expressivos para a cárie precoce da infância na população estudada.


Texto completo:

PDF