A influência do clareamento dental na resistência de união na interface resina-esmalte

Gilberto Antônio Borges, Gilberto Araújo Pereira, Janisse Martinelli, Wildomar José Oliveira

Resumo


Redução na resistência de união depois de clareamento tem sido publicado, contudo, o efeito do clareamento na resistência de união com o esmalte utilizando adesivos de três passos que incluem aplicação de ácido fosfórico não tem sido amplamente reportada. Esse trabalho avaliou a influência do clareamento dental na adesividade de restaurações de resina composta em esmalte. Incisivos bovinos foram submetidos ao clareamento com peróxido de carbamida (PC) a 37% e peróxido de hidrogênio (PH) a 35%, obtidos em farmácia de manipulação. Em seguida os dentes foram fixados em anéis de PVC, recebendo um cilindro de resina composta com 3mm de altura e 5mm de diâmetro na face vestibular. Utilizou-se o adesivo Scotchbond Multipurpose 3M e a resina composta Z100 – 3M. Uma fita de aço envolveu o cilindro de resina sob cisalhamento com velocidade de 0,5mm por minuto e célula de carga de 50kgf. Foram obtidos os seguintes resultados: Grupos controles restaurados sem clareamento: PHS:8,52MPa; PCS:8,30MPa. Imediatamente após o clareamento PHI:3,15MPa; PCI:4,10MPa. Após 24 horas PH24:5,68MPa; PC24:7,38MPa. Após 48 horas PH48:7,69MPa; PC48:6,93MPa. Após 7 dias PH7D:8,60MPa; PC7D:7,24MPa. Após 15 dias PH15D:7,36MPa; PC15D:9,08MPa. Após 21 dias PH21D:7,92MPa; PC21D:7,62MPa. Após aplicar o teste de Tukey (p<0,05), os subgrupos PHI, PH24, PCI apresentaram valores estatisticamente inferiores aos demais, o que implica um tempo necessário mínimo entre o clareamento e a restauração de resina composta, de 48 horas paraPH(35%) e de 24 horas paraPC(37%).


Texto completo:

PDF