Comparação da resistência à compressão entre materiais restauradores provisórios na Endodontia: estudo in vitro

Marcela Pasquale, Caren Serra Bavaresco, Graziella Pelegrini, Fernando Branco Barletta, Caroline Zanesco

Resumo


Objetivo: Este estudo comparou a Resistência à Compressão (RC) de quatro grupos de diferentes materiais: G1 (Vitremer®), G2 (Bioplic®), G3 (Coltosol®) e G4 (IRM®). Material e método: Foram feitos 8 corpos de prova (n=8) de cada material totalizando 32 amostras (n=32) em matriz de silicone altura de 3,5mm e 6 mm de largura. Metade das amostras (n=16) foi mantida 7 dias em soro fisiológico em estufa a 37ºC e a outra metade (n=16) mantida por 14 dias e então foram submetidos ao ensaio de RC, em uma máquina de Ensaios Universal (Emic 200) à velocidade de 0,5mm/min com uma célula de capacidade de carga de 200 kgf. Os dados obtidos em Mpa foram submetidos ao teste ANOVA a um critério, Tukey para comparações múltiplas (p<0,05) e por último T-test para amostras pareadas. Resultados: houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos em 7 dias (p=0,000) sendo os grupos G1 e G2 iguais entre si (420,72 Mpa e 396,50 Mpa), porém em 14 dias não houve diferença entre os grupos (p=0,104). O T-test mostrou a diferença entre os diferentes períodos de tempo dos grupos sendo G1 e G2 sem diferença estatística (p=0,178 e p=0,066), mas entre os grupos G3 e G4 houve diferença estatística (p=0,001 e p=0,000). Conclusão: Os materiais a base de ionômero de vidro (Vitremer®) e resinoso (Bioplic®) apresentarem os maiores valores em 7 dias. Em 14 dias os grupos não apresentaram diferenças estatísticas entre si, tiveram o mesmo comportamento apesar dos materiais à base de óxido de zinco (IRM® e Coltosol®) apresentarem maiores valores de resistência a compressão.


Texto completo:

PDF