Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Artigos originais

v. 24 n. 71 (2015): ROBRAC

Estudo da ansiedade e da condição socioeconômica de acadêmicos do curso de graduação em Odontologia

Enviado
novembro 11, 2015
Publicado
novembro 16, 2015

Resumo

Objetivo: Avaliar, através de questionário validado, o grau de ansiedade dos acadêmicos do curso de Odontologia e correlacioná-lo com a condição socioeconômica, idade, sexo deste alunado. Materiais e Métodos: A amostra foi constituída por 258 acadêmicos, selecionados conforme o desejo de participar da pesquisa, que responderam questionários relativos às características pessoais, condição socioeconômica (ABEP) e à ansiedade (Inventário de Ansiedade de Beck - BAI - Beck Anxiety Inventory). O teste estatístico utilizado foi o diagrama em árvore - Answer Tree que tem como base o teste de Qui-Quadrado com uma significância de 5%. Resultados: Os alunos participantes estiveram em maior número nos semestres iniciais do curso (n=141 – 54,7%). A maioria tinha idade entre 17 e 19,5 anos (n=130 – 50,4%) e era do sexo feminino (n=174 – 67,4%). A maior parcela era da classe social B (n=123 – 47,7). No diagrama em árvore, onde a ansiedade foi considerada variável dependente e, as outras variáveis como independentes, pôde-se verificar que a ansiedade foi maior nos alunos com menos de 19,5 anos (1,91+0,88) e da classe social A (2,04+ 0,97). Conclusão: Conclui-se que há uma alteração relevante do estado de ansiedade nos estudantes de Odontologia com idade menor ou igual a 19,5 anos e da classe social A.