Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 25 n. 73 (2016): ROBRAC

Avaliação da dureza de materiais restauradores diretos submetidos a diferentes desafios erosivos

Enviado
fevereiro 10, 2016
Publicado
junho 28, 2016

Resumo

Objetivo: Avaliar a dureza de materiais restauradores diretos submetidos a diferentes desafios erosivos in vitro. Material e método: Trata-se de um estudo experimental realizado com 12 amostras de cada material restaurador medindo 4 mm de diâmetro x 2 mm de espessura. As amostras de resinas (microparticulada e nanoparticulada) e dos cimentos de ionômero de vidro (convencional e modificado por resina) foram confeccionadas e a dureza de superfície foi determinada antes e após uma semana de desafio erosivo, sendo a troca dos meios realizada a cada 24 horas. A análise Estatística dos dados foi feita por ANOVA de 2 fatores. O Teste t pareado avaliou a comparação entre as durezas iniciais e finais. Os testes estatísticos foram realizados pelo Programa Minitab (versão 17) com o nível de significância fixado em 5%. Resultados e Conclusão: Os resultados mostram que cimento de ionômero de vidro convencional e resina nanoparticulada apresentaram maiores valores de perda de dureza. Quantos aos meios, a Coca-Cola ocasionou maior perda de dureza no Cimento de ionômero de vidro convencional e o Powerade provocou maior grau de erosão no Cimento de ionômero de vidro modificado por resina. Todos os materiais testados apresentaram redução na dureza da superfície como resultado do desafio erosivo em bebidas ácidas, sendo o cimento de ionômero de vidro convencional o material mais afetado.