Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 25 n. 73 (2016): ROBRAC

Avaliação ex vivo do desgaste promovido pelos sistemas protaper®, biorace® e instrumentos manuais no preparo de canais radiculares curvos

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v25i73.1063
Enviado
junho 13, 2016
Publicado
junho 20, 2016

Resumo

O preparo do canal radicular constitui-se em uma fase importante do tratamento endodôntico, por possibilitar a limpeza e a desinfecção do sistema de canais, além da modelagem, que permite a adequada acomodação do material obturador e o selamento endodôntico. Com o advento dos instrumentos de níquel-titânio, de reconhecida flexibilidade, tem-se observado considerável facilidade na realização do preparo e menor índice de desvio apical em canais curvos. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o desgaste produzido nas paredes dos canais mésio-vestibulares de primeiros molares inferiores pelos sistemas ProTaper, BioRaCe e instrumentos manuais, nos terços cervical, médio e apical. Para tal, foram utilizados trinta e nove primeiros molares inferiores, divididos em três grupos. Cada dente foi inicialmente radiografado nos sentidos vestíbulo-lingual e proximal, por meio de raio x digital. Após o preparo dos canais mésio-vestibulares, os dentes foram novamente radiografados. Por meio do programa Adobe Photoshop, as radiografias iniciais e finais de ambas as incidências foram digitalmente sobrepostas e, através da subtração das imagens, o desgaste foi evidenciando nas três dimensões. Foram atribuídos escores relativos à quantidade de desgaste gerado nos terços cervical, médio e apical do canal radicular. Os resultados mostraram diferença estatisticamente significativa apenas no terço apical, onde os instrumentos ProTaper produziram um desgaste significativamente menor do que os instrumentos manuais. Para os instrumentos BioRaCe não foram encontradas diferenças significativas. Também foi possível observar que os sistemas ProTaper e BioRaCe deixaram áreas do canal radicular não instrumentadas principalmente no terço apical, seguido pelo terço médio.