Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 26 n. 77 (2017): ROBRAC

Propriedades antimicrobianas e físico-químicas do cimento Portland associado a diferentes concentrações de óxido de cálcio

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v26i77.1163
Enviado
maio 11, 2017
Publicado
maio 15, 2017

Resumo

Objetivo: Avaliar a radiopacidade, a ação antimicrobiana, a estrutura de superfície e a composição química do cimento Portland (CP) associado a diferentes concentrações de óxido de cálcio. Material e Métodos: Os materiais testados foram: Mineral Trioxide Aggregate (MTA), CP cinza e CP acrescido de óxido de cálcio nas concentrações de 1%, 2%, 5% e 10%. Para a análise da radiopacidade, os materiais foram introduzidos em placas de acrílico posicionadas ao lado de um penetrômetro de alumínio. A avaliação da ação antimicrobiana foi realizada por meio do teste de difusão em Ágar, com os microrganismos: S. aureus, E. faecalis, P. aeruginosa, B. Subtilis e C. albicans. A avaliação da estrutura de superfície foi realizada em microscópio eletrônico de varredura (MEV) e a identificação dos elementos químicos foi realizada por espectroscopia de energia dispersiva. Resultados: O MTA apresentou valores de radiopacidade acima do degrau 3 da escada de alumínio, enquanto o CP acrescido de diferentes concentrações de óxido de cálcio evidenciaram valores de radiopacidade abaixo deste valor. Nenhum grupo testado apresentou eficácia antimicrobiana pelo teste de difusão em ágar, com ausência de halos de inibição. Os materiais apresentaram diferentes regularidades em imagens por MEV, com partículas de tamanhos similares e formas variáveis. Foram encontrados os mesmos elementos químicos em todos os grupos estudados. Conclusões: Apenas o cimento MTA apresentou radiopacidade com valor acima da recomendação mínima; nenhum dos cimentos testados apresentou eficácia antimicrobiana; os materiais apresentaram similaridade tanto na análise de superfície quanto na análise dos elementos químicos.