Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 26 n. 77 (2017): ROBRAC

Resinas compostas: alterações dimensionais em função da composição e do método de irradiação de luz

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v26i77.1164
Enviado
maio 15, 2017
Publicado
maio 15, 2017

Resumo

Objetivo: Avaliar e comparar a força de contração de polimerização de duas resinas compostas (microhíbrida e de preenchimento em bloco “bulk fill”) utilizando dois métodos de polimerização (uniforme contínua “convencional” e pulso tardio). Material e método: Quarenta corpos de prova (CP) foram confeccionados (6x1x2mm), sendo 20 CP com a resina composta de preenchimento em bloco “bulk fillx-tra fil (VOCO) e 20 CP com a resina micro-híbrida Filtek Z250 (3M ESPE). Para cada resina composta a ser testada metade dos corpos de prova (10 CP) foram fotopolimerizados pela técnica convencional [40s contínuos] e a outra metade (10 CP) com a técnica de irradiação pulso tardio [5s, seguida de 1 min de intervalo e mais 35s]. A fotopolimerização foi realizada com fonte de luz LED com 1250 mW/cm². A força de contração, em Newtons (N) foi considerada como o valor registrado pela máquina de ensaios, 2 min após o início da aplicação da luz no CP. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística descritiva, ANOVA a dois critérios e Tukey (P<0,05). Resultados: Diferenças estatisticamente significativas foram observadas para as resinas compostas testadas (P<0,001) e para os métodos de polimerização (P=0,001). Conclusões: A técnica de fotopolimerização convencional e a resina composta microhíbrida produziram menor força de contração de polimerização.