Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 26 n. 79 (2017): ROBRAC

Forças de contração de polimerização em resinas compostas constituídas com novas matrizes orgânicas e fotoativadas por diferentes técnicas

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v26i79.1181
Enviado
junho 26, 2017
Publicado
setembro 12, 2017

Resumo

Objetivo: Verificar a força de contração de polimerização de três diferentes resinas compostas em função de dois métodos de fotopolimerização (convencional e pulso tardio). Foram selecionados para o estudo três materiais, com diferentes matrizes orgânicas: Bis-GMA – Filtek Z250 XT (3M-ESPE, Saint Paul, Minnesotta, EUA); Silorano – Filtek P90 (3M-ESPE, Saint Paul, Minnesotta, EUA) e TCD-Uretano - Charisma Diamond (Heraeus Kulzer, São Paulo, São Paulo, Brasil). Material e Método: Os corpos de prova foram confeccionados a partir de uma matriz retangular de aço inoxidável (6mm x 1mm x 2mm), posicionados em uma máquina de ensaios universal (Instron, Modelo 5965) para registro da força de contração de polimerização (Newtons). A fotoativação foi executada em cada grupo com fonte de luz do tipo LED (600mW/cm2) sob dois protocolos de fotoativação: contínuo - 40s (600mW/cm2) e pulso tardio - 5s (600mW/cm2) + 1 min sem luz + 35s (600mW/cm2). Considerou-se como força de contração o valor registrado pela máquina de ensaios 2 minutos após o início da aplicação da luz no espécime. Os valores obtidos foram submetidos à análise de variância (ANOVA), seguido pelo teste de Tukey (p=0,05). Resultados: Não houve diferença estatística significativa entre as duas técnicas de polimerização testadas nas resinas compostas à base de silorano e TCD-Uretano, porém, houve diferença para a resina à base de Bis-GMA. Conclusão: A técnica de pulso influenciou positivamente na redução da força de contração em matriz polimérica à base de Bis-GMA, entretanto, não promoveu benefícios para as resinas à base de silorano e TCD-Uretano.