Restaurações biológicas como alternativa para reabilitação de dentes com extensa destruição coronária

  • Ketty Mirelli Vieira Vignali Curso de Odontologia, Universidade Luterana do Brasil. Torres, RS, Brasil.
  • Caroline Pereira de Oliveira Curso de Odontologia, Universidade Luterana do Brasil. Torres, RS, Brasil.
  • Alisson Rodrigues Curso de Odontologia, Universidade Luterana do Brasil. Canoas, RS, Brasil.
  • Fernando Freitas Portella Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Luterana do Brasil. Canoas, RS, Brasil.
  • Guilherme Anziliero Arossi Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde, Desenvolvimento Humano e Sociedade, Universidade Luterana do Brasil. Canoas, RS, Brasil.

Resumo

Objetivo: Descrever reabilitações com coroas biológicas por meio de dois casos clínicos, um dente anterior e um posterior. Material e Método: O estudo apresenta dois casos clínicos em que reabilitações de dentes extensamente destruídos foram realizadas. Em um dos casos é apresentada a reabilitação do dente 14 e no seguinte uma reabilitação simultânea dos dentes 21 e 22. Em ambos os casos foram utilizados dentes humanos provenientes de um banco de dentes humanos (BDH). Para a seleção dos dentes, utilizou-se como parâmetros os diâmetros dos dentes a serem reabilitados, bem como as medidas do dente homólogo contralateral. Os dentes obtidos junto a BDH foram seccionados, a coroa biológica esvaziada e então reembasada com resina composta sobre um modelo de gesso obtido dos pacientes. Após o reembasamento e ajustes oclusais ainda no modelo de gesso, as coroas foram cimentadas com cimento resinoso. Resultados: Em ambos os casos clínicos, os pacientes foram reabilitados adequadamente, de forma rápida e com custo reduzido. Conclusão: Restaurações biológicas podem ser utilizadas para reabilitação de dentes permanentes anteriores e posteriores; além de estimular o correto descarte de futuros dentes extraídos, sendo esses destinados a bancos de dentes humanos.

Publicado
2019-07-11
Seção
Relato de Caso