Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 27 n. 83 (2018): ROBRAC

Anatomia radicular dos primeiros pré-molares inferiores em uma população do Nordeste do Brasil

  • Joana Dourado Martins Cerqueira
  • Nicoly Guimarães Oliveira
  • Thairine Santana Almeida
  • Maressa Cedraz de Oliveira
  • David Almeida Costa
  • Viviane Almeida Sarmento
  • Érica dos Santos Carvalho
DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v27i83.1281
Enviado
agosto 28, 2018
Publicado
outubro 11, 2018

Resumo

Objetivo: Avaliar a anatomia radicular dos primeiros pré-molares inferiores em uma população do Nordeste do Brasil, através das análises externas das raízes, método radiográfico digital e diafanização. Materiais e Métodos: 100 dentes extraídos foram selecionados. A análise clínica avaliou as características radiculares, incluindo o número de raízes, a presença e o tipo de sulcos radiculares nas superfícies proximais, ocorrência e tipo de dilaceração da raiz, tamanho e forma da raiz. Dois exames radiográficos foram realizados: incidência ortogonal e mesio-distal, seguida de diafanização dos dentes. Resultados: Os resultados do estudo mostraram maior ocorrência de raiz única (96%), piramidal cônica (53%), presença de sulcos radiculares (71%) e dilaceração apical em 46% dos dentes. Na posição ortogonal, 75% dos dentes apresentavam um canal, enquanto no mesio-distal esse valor era de 57% (p = 0,00). Na diafanização, a ramificação mais comum foi o intercanal (38,9%) e, para o tipo Vertucci, o tipo I foi o mais frequente (63%). Ao comparar a classificação de Vertucci na radiografia e na diafanização, houve diferença estatisticamente significante (p = 0,00). Conclusão: Os primeiros pré-molares inferiores apresentam uma grande variação da anatomia radicular, o que pode levar a falhas no tratamento endodôntico.