Análise de falhas na superfície ativa de diferentes instrumentos de níquel-titânio por meio da microscopia eletrônica de varredura

  • Helder Fernandes de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Angelita Santos Matos
  • Mariana Silva Xavier
  • Elisa da Silva Paula
  • Mônica Misaé Endo

Resumo

Objetivo: Analisar falhas de fabricação na superfície ativa de diferentes instrumentos de níquel-titânio por meio da microscopia eletrônica de varredura. Material e método: Foram analisados um total de 33 instrumentos distribuídos em dois grupos de acordo com a procedência: G1 - Sistema Protaper Next® sendo analisados 03 kits de 05 instrumentos de NiTi cada (X1 – 17/0.04; X2 – 25/0.06; X3 – 30/0.07; X4 – 40/0.06; X5 – 50.0.06); G2 - Sistema Biorace®, sendo analisados 03 kits constituído de 06 instrumentos  cada (BR0 – 25/0.08; BR1 – 15/0.05; BR2 – 25/0.04; BR3 – 25/0.06; BR4 – 35/0.04; BR5 – 40/0.04); Os instrumentos foram retirados da embalagem e direcionados para a análise de falhas na superfície ativa em imagens de microscopia eletrônica de varredura. Para determinação das falhas na superfície do instrumento, dividiu-se a parte ativa de 16mm em 14 partes de 2,55mm cada (S1-S7), nominadas seguimentos de 1 ao 7. Resultados: As frequências de defeitos encontradas para cada segmento dos instrumentos analisados foram cruzadas com os dados do número do instrumento por meio do teste do Qui-quadrado. Houve influência de uma variável sobre a outra apenas quando se analisou o segmento 1 do kit Protaper Next (p=0,005). O instrumento X4 mostrou um número maior de falhas que os demais instrumentos. A relação entre o número de defeitos observados nos diferentes sistemas de instrumentos foi avaliada pelo teste do Qui-quadrado. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes entre Biorace e Protaper Next (p>0,05). Conclusão: Ambos os instrumentos dos grupos analisados apresentaram algum tipo de falha na superfície ativa.

Biografia do Autor

Helder Fernandes de Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
Graduou-se em Odontologia pela Universidade Federal de Goiás no ano de 2004, e especializou-se em Endodontia pela Associação Brasileira de Odontologia - Seção Goiás no ano de 2009. Conclui o curso de Mestrado em Odontologia pela Universidade Federal de Goiás no ano de 2012. Tem experiência na área de Odontologia com ênfase em Endodontia. É professor do curso de Especialização em Endodontia da Associação Brasileira de Odontologia - Seção Goiás e da Disciplina de Estágio I - Emergência e Endodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás. Pesquisador integrante do Laboratório de Biologia Oral da FO-UFG. (Texto informado pelo autor)
Publicado
2019-07-11
Seção
Artigos originais