Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Relato de Caso

v. 30 n. 89 (2021): ROBRAC 30 anos

Pneumoencéfalo difuso após fratura de maxila: relato de caso

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v30i89.1332
Enviado
junho 15, 2019
Publicado
abril 5, 2021

Resumo

Objetivo: O presente trabalho teve por objetivo apresentar caso incomum de pneumoencéfalo difuso em massa encefálica decorrente de trauma simples de maxila Lefort I bilateral. Material e método: Paciente T.S, gênero masculino, 35 anos, vítima de acidente motociclístico apresentando ao exame clínico extraoral abrasões em região frontal e geniana esquerda e ferida corto contusa em região frontal apresentava alteração oclusal, mobilidade crânio-caudal e latero-lateral de maxila. Ao exame de tomografia computadorizada confirmou-se a presença de fratura de maxila Le Fort I e fratura de parede anterior do seio frontal e observou-se também a presença de pneumoencéfalo difuso em região da massa encefálica e grande quantidade de enfisema nos espaços faciais. Resultados: Sob orientação da equipe de neurocirurgia foi iniciado antibioticoterapia com uso de Ceftriaxona 1000 mg duas vezes ao dia por sete dias e realizado tomografia de crânio controle foi onde se observou regressão completa do pneumoencéfalo. Após instalação de barra de Erich realizou-se a redução e fixação da fratura Lefort I bilateral sob anestesia geral sem intercorrências. Conclusão: Exames de imagem, como a tomografia computadorizada, são indispensáveis para uma adequada avaliação e diagnóstico das condições intracraniana. Por mais que o pneumoencéfalo possua, na maioria dos casos, resolução espontânea um acompanhamento rigoroso é fundamental para a melhor condução dos casos.