Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Relato de Caso

v. 29 n. 88 (2020): ROBRAC

Simplificação da técnica para reabilitação de maxila atrófica com implantes zigomáticos com interface cônica interna e carregamento imediato: relato de caso

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v29i88.1428
Enviado
junho 23, 2020
Publicado
novembro 10, 2020

Resumo

A reabilitação de maxilas atróficas com implantes dentários é sempre um desafio, visto que o uso de enxertos ósseos é quase sempre necessário para estabilização dos implantes. Os implantes zigomáticos têm sido utilizados como uma opção viável ao uso de procedimentos de enxertia óssea anterior à cirurgia. A interface cônica interna apresenta gap reduzido entre implante e componente protético, mostrando resultados biológicos e estéticos satisfatórios a longo prazo. Este artigo tem como objetivo relatar a reabilitação protética imediata de uma maxila atrófica com implantes convencionais e zigomáticos com interface cônica interna como opção ao uso de enxertos ósseos prévios. Paciente com 47 anos de idade, do sexo masculino, apresentava maxila atrófica e usava uma prótese total superior. O paciente foi reabilitado com quatro implantes convencionais na região anterior e dois implantes zigomáticos cônicos internos instalados nos ossos zigomáticos. Os torques de instalação dos implantes ≥ 60 N.cm proporcionaram estabilidade primária ideal e uma prótese (protocolo) foi instalada imediatamente utilizando a técnica do assentamento passivo. O caso clínico apresentado mostrou que, após 1 ano, resultados precisos e estéticos são possíveis de alcançar com a instalação de implantes zigomáticos combinados com implantes convencionais para reabilitação de maxilas atróficas de forma imediata e sem utilização de enxerto ósseos prévios.