Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 30 n. 89 (2021): ROBRAC 30 anos

Avaliação da densidade óssea da mandíbula e fêmur de camundongos suplementados com vitamina D

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v30i89.1442
Enviado
julho 28, 2020
Publicado
julho 2, 2021

Resumo

Objetivo: Este estudo experimental foi realizado com o objetivo de avaliar a influência da suplementação de vitamina D3 (VitD) sobre a densidade óssea do fêmur e mandíbula de camundongos. Material e Métodos: Camundongos C57BL/6 foram utilizados e divididos em dois grupos: 1) grupo controle e 2) grupo VitD  - submetidos à administração sistêmica de vitamina D3 na concentração de 10.000 UI por semana durante 4 semanas, por meio de gavagem. Após 4 semanas da administração da VitD, cirurgia de instalação de implante de titânio foi realizada na região lateral da mandíbula dos animais. E após 7 e 21 dias da colocação dos implantes, as radiografias periapicais digitais da mandíbula e das regiões de metáfise e diáfise femoral foram analisadas pelo programa BmA-DDX, a fim de se verificar a contagem de pixels trabeculares. Para a análise estatística foram aplicados os testes Anova e correlação múltipla de Bonferroni. Resultados: Os resultados da análise radiográfica demonstraram que na mandíbula houve aumento na densidade óssea no grupo VitD em relação ao grupo controle (p<0,05), não havendo, entretanto, diferença no mesmo grupo ao longo do tempo. Na região de metáfise do fêmur não houve diferença entre os grupos ao longo do tempo, porém, na região de diáfise notou-se um aumento no número de pixels trabeculares no grupo suplementado com VitD em comparação ao grupo controle (p=0,001). Conclusões: Pode-se sugerir que na mandíbula ao redor do implante e diáfise femoral avaliadas pela análise radiográfica digital, a suplementação com VitD indicou um aumento na densidade óssea.