Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 19 n. 48 (2010): ROBRAC

Efeito Citotóxico de Agentes Clareadores a Base de Peróxido de Hidrogênio a 20% e 38% sobre Células Odontoblastóides

  • Nancy T. Sacono
  • Cármen R. Coldebella
  • Ana P. D. Ribeiro
  • Diana G. S. Soares
  • Flávia Z. Trindade
  • Josimeri Hebling
  • Carlos Alberto Souza Costa
Enviado
abril 21, 2010
Publicado
abril 21, 2010

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a citotoxicidade de diferentes técnicas de clareamento dentário, utilizando agentes clareadores com 20% e 38% de peróxido de hidrogênio (H2O2) sobre células odontoblastóides MDPC-23. Sessenta discos de esmalte/dentina foram adaptados em câmaras pulpares artificiais e divididos em seis grupos de acordo com o tratamento realizado sobre a superfície do esmalte: G1- 20% H2O2 (1 aplicação); G2- 20% H2O2 (2 aplicações); G3- 38% H2O2 (1 aplicação); G4- 38% H2O2 (2 aplicações); G5- 38% H2O2 (3 aplicações) e G6- controle. Em cada aplicação, os agentes clareadores com 20% ou 38% de H2O2 permaneceram sobre o esmalte por 45 ou 10 minutos, respectivamente. Após a última aplicação do gel, o meio de cultura em contato com a dentina foi obtido (extrato) e aplicado sobre as células previamente cultivadas (30.000 células/cm2). Foram realizadas avaliações do metabolismo (Teste de MTT) e da morfologia celular (MEV). A redução do metabolismo celular foi de 96,29%; 96,11%; 96,42%; 95,62% e 97,18% para G1, G2, G3, G4 e G5, respectivamente. Houve diferença estatisticamente significante apenas quando se comparou os grupos tratados com o grupo controle (G6) (Mann Whitney, p<0,05). Nestes grupos tratados, as poucas células que sobreviveram aos extratos apresentavam notáveis alterações morfológicas. Concluiu-se que ambas as técnicas de clareamento avaliadas resultaram em intenso efeito citotóxico trans-amelodentinário para as células MDPC-23.