Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 19 n. 48 (2010): ROBRAC

Contaminação de Tubos de Resina Composta Manipulados sem Barreira de Proteção

  • Camila T. Cardoso
  • José R. Pinto Júnior
  • Eduardo A. Pereira
  • Letízia M. Barros
  • Amanda B. D. A. Freitas
Enviado
abril 21, 2010
Publicado
abril 21, 2010

Resumo

A contaminação dos materiais de uso comum nas clínicas/escola de odontologia representa um problema, principalmente pelo risco de transmissão de microrganismos patogênicos. Os tubos de resina composta, por exemplo, podem ser veículos responsáveis por contaminação cruzada. O objetivo deste estudo foi verificar a presença de contaminação em tubos de resina manipulados sem barreira de proteção. Os tubos de resina foram manipulados por um grupo de graduandos em uma clínica/escola durante 9 sessões, sempre ao final do procedimento clínico, estando o voluntário ainda calçado com as luvas utilizadas no atendimento do paciente. Dez tubos de resina, do mesmo lote de fabricação, foram utilizados; sendo que um deles foi o controle negativo e 9 foram manipulados na clínica. Para verificação de contaminação um tubo de resina de cada vez foi incubado por 24h num tubo de ensaio contendo água peptonada tamponada e 100μL do inóculo resultante foi semeado em duplicata em Ágar BHI e em Ágar Manitol Salgado. A contaminação foi observada através da contagem total de microrganismos nas culturas em Agar BHI, e a presença de Staphylococcus spp., nas culturas em Agar Manitol Salgado. O tubo controle não apresentou nenhuma contaminação. Os tubos manipulados após os procedimentos clínicos apresentaram contaminação desde a primeira sessão de manipulação. A cada nova sessão de manipulação foi observada maior contagem total de microrganismos e maior contagem de estafilococos. Os resultados indicam que para evitar infecções cruzadas há necessidade de utilização de métodos de desinfecção e utilização de barreiras de proteção dos materiais de uso comum.