Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 19 n. 49 (2010): ROBRAC

Discrepância entre método convencional de odontometria com referência padrão

  • Alexandre Valentino da Silva Peres
  • Daniel de Almeida Decurcio
  • André Luiz Gomide Morais
  • Julio Almeida Silva
  • Ana Helena Gonçalves Alencar
Enviado
julho 29, 2010
Publicado
julho 29, 2010

Resumo

Este trabalho teve como objetivo comparar a discrepância entre método convencional de odontometria com a referência padrão determinada visualmente. Foram utilizadas 57 raízes de dentes humanos extraídos, sendo 17 anteriores, 20 pré-molares e 20 molares. Os dentes selecionados apresentavam ápices completos, ausência de fraturas apicais, coroas em bom estado de conservação, ausência de tratamento endodôntico e canais acessíveis até o forame apical. Antes de qualquer procedimento, foi realizada uma radiografia inicial.  O dente foi medido com paquímetro digital (ponta de cúspide ou borda incisal até vértice apical) e os dados anotados. Após abertura coronária, exploração, esvaziamento dos canais radiculares e preparo do terço cervical foi realizada a odontometria visual do dente, através da visualização da lima tipo K-file pelo forame apical seguido de recuo de 1mm. Após, foi realizada uma radiografia de confirmação da odontometria, com uso de tela milimetrada. Os dados referentes à distância entre o zero apical e a ponta da lima na radiografia foram analisados e tabulados, e finalmente determinada a discrepância entre o limite apical determinado visualmente e radiograficamente. Concluiu-se que apenas 50,5% das raízes apresentam a odontometria visual coincidente com odontometria radiográfica. Os pré-molares foram o grupo de maior discrepância, seguidos pelos molares e anteriores.