Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 17 n. 44 (2008): ROBRAC

Infiltração microbiana em dentes portadores de restaurações provisórias

  • Cyntia Rodrigues de Araújo Estrela
  • Rosane Galhardo Ribeiro
  • Marcelo Sampaio Moura
  • Carlos Estrela
DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v17i44.45
Enviado
março 20, 2010
Publicado
março 21, 2010

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a infiltração microbiana em dentes restaurados provisoriamente com o material restaurador intermediário (IRM, Intermediate Restorative Material), Cavit ou Vitremer. Para tanto, foram utilizados 50 dentes humanos extraídos unirradiculares, distribuídos aleatoriamente em três grupos experimentais e dois grupos controle (positivo e negativo). Para o modelo de estudo, empregou-se uma plataforma, dividida em duas partes: câmara superior – onde foi introduzida a suspensão microbiana contendo os indicadores biológicos (E. faecalis + S. aureus + P. aeruginosa + B. subtilis + C. Albicans); e, câmara inferior, com o meio de cultura (Brain Heart Infusion), onde os dentes permaneceram imersos com 5 mm do remanescente apical radicular (correspondente ao terço cervical) durante o período de 60 dias. Observou-se a partir dos resultados, que nos dentes dos grupos 1 (IRM) e 2 (Cavit) ocorreu infiltração microbiana a partir de 7 dias. No grupo 3 (Vitremer) não foi verificada infiltração microbiana no período de 7 a 60 dias.