Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 20 n. 52 (2011): ROBRAC

Atividade antifúngica de Schinus terebinthifolius (Aroeira) sobre cepas do gênero Candida

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v20i52.491
Enviado
outubro 4, 2010
Publicado
março 16, 2011

Resumo

Objetivo: avaliar a atividade antifúngica de Schinus terebinthifolius (aroeira) frente à Candida albicans (ATCC289065), C. tropicalis (ATCC40147) e C. krusei (ATCC40042). Materiais e Método: o ensaio de atividade antifúngica foi realizado pela técnica de difusão em meio sólido. Em meio de cultura Agar Sabouraud Dextrose (HIMEDIA®,São Paulo,Brasil) foram semeadas as linhagens fúngicas utilizando-se swabs. Em seguida, foram inseridos sobre a superfície do meio discos absorventes estéreis previamente imersos em 50μL da tintura de Aroeira (10%). Como controle positivo, foram utilizados discos imersos em 50μL de Nistatina (1:100.000UI). As placas foram conduzidas à estufa, à 37º C, por 48 horas. O estudo foi feito em triplicata e analisado estatisticamente através do teste Mann Whitney. Resultados: a aroeira foi responsável pela formação de halos de inibição de crescimento das três cepas em estudo e não houve diferença estatisticamente significante entre o produto e o controle. Sobre C. albicans encontraram-se os maiores halos de inibição de 16mm para aroeira e 18mm para o controle (p=0,1642). Frente à C. tropicalis, os maiores halos foram de 16mm para aroeira e 18 mm para o controle (p=0,8248). Sobre C. krusei, verificaram-se halos de 14mm para o produto e controle (p=0,6193). Conclusão: aroeira apresentou atividade antifúngica equivalente ao controle frente às cepas de Candida avaliadas. Destarte, sugere-se a realização de outros estudos microbiológicos, toxicológicos e clínicos para verificar a viabilidade de uso na odontologia.