Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 20 n. 52 (2011): ROBRAC

Qualidade das restaurações e o insucesso endodôntico

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v20i52.559
Enviado
maio 19, 2011
Publicado
maio 30, 2011

Resumo

Objetivo: Avaliar a qualidade das restaurações dos dentes tratados endodonticamente e sua influência no insucesso endodôntico.

Materiais e Métodos: 105 pacientes atendidos na unidade de saúde, Gestão plena da cidade de Araruna-PB, no período de 2002 a 2004, foram convidados a retornarem com objetivo de avaliar a qualidade das restaurações de dentes tratados endodonticamente após 3 anos do tratamento concluído, dos quais oitenta e sete (n=102 dentes tratados endodonticamente) se apresentaram para proservação. Utilizou-se de questionário, exame clínico e radiográfico. A ficha clínica foi preenchida com base no prontuário dos pacientes e, posteriormente, um exame clínico e radiográfico dos mesmos foi realizado pelo mesmo profissional devidamente calibrado e que realizou todos os tratamentos endodônticos. O exame físico da cavidade bucal foi realizado com o intuito de perceber as condições no momento do exame, das restaurações dos dentes tratados endodonticamente executados, complementando-se ao exame radiográfico. Os dados coletados por meio dos exames realizados foram tabulados e submetidos aos testes estatísticos Qui-Quadrado e Odds Ratio.

Resultados: No período de 3 anos de acompanhamento clínico e radiográfico, a qualidade da restauração não influenciou significativamente (P>0,05) o prognóstico do tratamento endodôntico.

Conclusão: Não existiu influência da qualidade das restaurações com os insucessos dos tratamentos endodônticos.