Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 21 n. 56 (2012): ROBRAC

Saliva versus inflamação peri-implantar. Quantificação de NO e MCP1 em desdentados parciais e totais.

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v21i56.613
Enviado
dezembro 8, 2011
Publicado
março 27, 2012

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre os níveis salivares de dois mediadores pró-inflamatórios (óxido nítrico-NO e proteína quimiotática para monócitos-MCP 1) e o diagnóstico clínico do estado de saúde peri-implantar em pacientes desdentados totais e parciais reabilitados com implantes. Material e método: Os pacientes desdentados totais e parciais reabilitados com implantes foram classificados em grupo saudável ou inflamado de acordo com os critérios profundidade e sangramento à sondagem peri-implantar. Dados sobre índice de placa, perda de inserção clínica, supuração e mobilidade também foram avaliados. Pacientes cárie zero e periodontalmente saudáveis foram utilizados como controle. A saliva foi coletada sem estimulação e os níveis de MCP1 e NO foram determinados por ensaio imunoenzimático e submetidos à análise estatística. Resultados: Não houve diferença entre os níveis de MCP1 nas análises intra e inter-grupos (p=0.0922). Os níveis de NO foram estatisticamente diferentes entre os implantes parcial e total saudável e entre o grupo controle e parcial saudável (p<0.001). A profundidade de sondagem não diferiu entre os pacientes desdentados totais do grupo inflamado e saudável, embora nos outros grupos a diferença tenha sido significante (p<0.05). No grupo desdentado total inflamado foi observada correlação entre os níveis de MCP1 e profundidade de sondagem (p=0.0132) e entre esse parâmetro e o NO (p=0.0032). Conclusão: O NO e o MCP1 são candidatos a marcadores auxiliares no diagnóstico e acompanhamento de pacientes com inflamação peri-implantar, desdentados totais reabilitados com overdenture, embora mais estudos precisem ser realizados.