Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 15 n. 40 (2006): ROBRAC

Avaliação da atividade antimicrobiana do formocresol e do paramonoclorofenol canforado

  • Maria Alves Garcia Santos Silva
  • Elismauro Francisco Mendonça
  • Káthia Fernandes Muricy Rodrigues
  • César Bariani
  • Geisa Badauy Lauria Silva
DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v15i40.69
Enviado
março 23, 2010
Publicado
março 25, 2010

Resumo

Para compensar as deficiências da instrumentação de dentes decíduos, os medicamentos utilizados como curativo de demora assumem considerável importância no saneamento dos canais radiculares. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi investigar a ação antimicrobiana do formocresol e do paramonoclorofenol canforado através do método de difusão em ágar. Três cepas bacterianas (Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa e Bacillus subtilis) e um fungo (Candida albicans) foram utilizados. Para o teste de difusão em ágar, 12 placas de Petri com 60mL de BHIA foram inoculadas com 300 mL das suspensões microbianas. Após a impregnação dos discos de papel filtro com 10 mL dos materiais experimentais, os mesmos foram colocados sobre a superfície do BHIA e mantidos por 1 hora em temperatura ambiente e incubados a 37ºC por 48 horas. Os diâmetros dos halos de inibição microbiana foram medidos sobre os discos de papel contendo as substâncias. Os resultados demonstraram atividade antimicrobiana para os dois materiais testados, sendo que o formocresol apresentou halos de inibição significativamente maiores que o paramonoclorofenol canforado