Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 23 n. 66 (2014): ROBRAC

Avaliação da capacidade da membrana absorvível atuar como carreador de quimioterápicos

  • Guilherme Carminati de Magalhães
  • Nathalia Silveira de Menezes
  • Fernanda Carminati de Magalhães
  • Helder Henrique Machado de Menezes
  • Geraldo Batista Melo
  • Denildo de Magalhães
Enviado
janeiro 29, 2013
Publicado
agosto 18, 2014

Resumo

Objetivo: A exposição da membrana durante procedimentos regenerativos periodontais pode causar contaminação e complicações pós-operatórias. Este estudo avaliou a capacidade de uma membrana absorvível atuar como carreador de quimioterápicos. Material e Métodos: Noventa amostras de membranas absorvíveis de origem xenógena, da marca Genius/Baummer, foram previamente impregnadas, sendo 45 com doxiciclina e 45 com cloridrato de tetraciclina, e dispostas em placas de cultura contendo microrganismos aeróbios e anaeróbios. O período experimental foi de 5 semanas, com avaliações regulares a cada semana com objetivo de identificar a integridade das membranas  e a capacidade de inibir o crescimento bacteriano pela presença dos halos de inibição. Resultados: Ao final do experimento constatou-se que para culturas aeróbias o período mínimo de inibição foi de 21 dias, para anaeróbias foi de 28 dias e os resultados foram estatisticamente superiores para a doxiciclina. Conclusão: Ambas as membranas apresentam habilidade de inibição bacteriana, confirmando a possibilidade das membranas testadas serem utilizadas como carreadores de agentes antimicrobianos, especialmente para a doxiciclina.