Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 22 n. 61 (2013): ROBRAC

Influência do comprimento e tratamento superficial de fibras de vidro na resistência flexural de barras de resina acrílica.

  • Rodrigo Borges Fonseca
  • Amanda Vessoni Barbosa Kasuya
  • Isabella Negro Favarão
  • Janaína Castillho Miotto
  • Lawrence Gonzaga Lopes
DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v22i61.761
Enviado
junho 25, 2013
Publicado
julho 2, 2013

Resumo

Objetivo: O presente trabalho avaliou a resistência flexural em barras de resina acrílica variando o tratamento superficial e o comprimento das fibra de vidro. Material e Método: Nove grupos experimentais foram criados (N=10), tendo como fatores em estudo o comprimento da fibra de vidro pura (Unidirecional 23mm (Uni23) e Picotada 3mm (Pic3)) e o tipo de tratamento de superfície (sem tratamento (Crtl), silanização (Sil), impregnação com adesivo a base de bisGMA (Imp) e silanização + impregnação com adesivo a base de bisGMA (Imp/Sil)). Amostras (25x2x2mm) foram produzidas e testadas a 0,5mm/min obtendo-se os valores de resistência flexural em Mpa. Resultados: A análise estatística demonstrou diferença significante (p=0,001) para os fatores: tratamento superficial (Imp:297,95±73,86A; Sil/Imp:265,3±64,21AB; Sil:229,2±72,47B; Controle:164,9±34,92C) e comprimento de fibra (Uni23:266,5±89,57a; Pic3:212,17±57,31b). A interação entre os dois em fatores em estudo não apresentou diferença estatisticamente significante (p=0,098). Conclusão: As fibras de vidro, independente do seu comprimento, promovem o reforço significativo de resinas acrílicas quando tratadas superficialmente com adesivo bis-GMA, silano ou a combinação de ambos.