Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 23 n. 64 (2014): ROBRAC

Desobturação e repreparo do canal radicular: análise da eficácia de duas técnicas preconizadas

DOI
https://doi.org/10.36065/robrac.v23i64.779
Enviado
setembro 15, 2013
Publicado
maio 26, 2014

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar, in vitro, a eficácia de duas técnicas endodônticas empregadas na desobturação e repreparo de canais radiculares. Vinte pré-molares inferiores unirradiculares foram selecionados, preparados por meio da técnica coroa-ápice e obturados pela técnica de condensação late-ral com uso de guta-percha e cimento endodôntico. Após obturados e restau-rados com material provisório, os dentes permaneceram 30 dias em estufa a 37°C e 100% de umidade. Após esse período, foram divididos em dois grupos de acordo com a técnica empregada de desobturação e repreparo. No grupo A, foi utilizado os instrumentos D1, D2 e D3 do Sistema Protaper Universal® para desobturação associada aos instrumentos F4 e F5, do mesmo sistema, para o repreparo. Já no grupo B, foram empregados, na desobturação e no repreparo, os instrumentos manuais tipo K. O tempo necessário para os dois procedimen-tos em cada grupo também foi mensurado. Os dentes foram radiografados nas incidências, mésio-distal e vestíbulo-lingual, para serem analisados. As ima-gens obtidas foram avaliadas por três examinadores. Os dados obtidos  foram analisados estatisticamente, e demonstraram que nenhuma das técnicas re-moveu totalmente a obturação dos canais. Não houve diferença estatística significativa entre as duas técnicas, assim como as duas incidências radiogra-fadas também não apresentaram diferença estatística entre si. O emprego de instrumentos rotatórios requereu menor tempo para desobturação e repreparo que os instrumentos manuais.