Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 23 n. 65 (2014): ROBRAC

Disfunção temporomandibular em pacientes com fibromialgia: dor e aspectos psicológicos envolvidos

  • Germana Louanne Neves Carvalho Leitão
  • Luciana Barbosa Sousa de Lucena
  • Heloísa Helena Pinho Veloso
  • Kleper Carvalho de Figueiredo Leitão
  • Monique Danyelle Emiliano Batista Paiva
  • Andréa Sarmento Queiroga
  • Michel Nicolau Youssef
Enviado
agosto 17, 2014
Publicado
agosto 18, 2014

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de Disfunção Temporomandibular (DTM) e envolvimento de fatores psicológicos e dor em uma população com Fibromialgia (FM). Materiais e métodos: A amostra foi composta por 50 mulheres tratadas no Ambulatório de Acupuntura e Dor do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE) com diagnóstico de fibromialgia segundo os critérios do Colégio Americano de Reumatologia. Avaliaram-se a classificação e grau da DTM pelo índice Anamnésico Simplificado e fatores psicológicos envolvidos utilizando-se os Critérios Diagnósticos de Pesquisa em DTM (RDC/TMD): Eixo II. Para análise dos dados foram utilizados os testes estatísticos Qui-quadrado de Pearson e o teste Exato de Fisher. Os cálculos estatísticos foram realizados através do programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 15 Windows.   Resultados: A presença de sinais e sintomas relacionados à DTM foi encontrada em 49 pacientes. A maioria (80,0%) relatou dor na face e com exceção de uma paciente todas tinham dor facial crônica. Depressão foi comprovada em 90,0% das participantes e o grau da DTM mostrou associação significativa (p < 0,05) com o grau da depressão. Conclusão: Há uma alta prevalência de DTM e depressão na população fibromiálgica. A DTM mostrou-se mais intensa nos indivíduos com maior severidade de depressão. Portanto, observa-se a real necessidade de uma abordagem cuidadosa e multidisciplinar aos pacientes com FM e este aspecto deve ser levado em consideração durante sua avaliação e tratamento.