Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 18 n. 45 (2009): ROBRAC

Percepção de escolares em relação à saúde bucal

  • Ana Flávia Granville-Garcia
  • José Eudes Lorena Sobrinho
  • Jennyfer Christian Araújo
  • Jainara Maria Soares Ferreira
  • Valdenice Aparecida Menezes
  • Alessandro Leite Cavalcanti
Enviado
março 20, 2010
Publicado
março 21, 2010

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar a percepção de escolares em relação ao recebimento de informações sobre doenças bucais, hábitos de higiene oral, visita ao cirurgião-dentista e a influência da variável gênero nestes aspectos entre adolescentes do município de Vitória de Santo Antão, PE. A amostra foi do tipo não-probabilística, sendo composta por 280 escolares na faixa etária de 10 a 16 anos. O instrumento de pesquisa consistiu de formulário semi-estruturado, contendo questões relativas à informação sobre saúde bucal, hábitos de higiene (escovação e uso do fio dental), bem como da visita ao cirurgião-dentista. O teste estatístico utilizado foi o Qui quadrado (nível de significância de 5%). A maioria dos adolescentes (81,4%) recebeu instruções sobre como ocorrem as doenças bucais (p=0,222) e o cirurgião dentista foi a principal fonte de informação (75,8%), p=0,282. O gênero feminino apresentou uma maior freqüência de escovações diárias (p=0,004). A maior parte dos entrevistados foi orientada sobre como escovar os dentes (88,5%) e sobre o tipo de escova a ser utilizada (56,8%). 59,7% dos entrevistados usam o fio dental e 59,3% foram orientados quanto a sua utilização, sem diferença entre os gêneros. A maioria visitou o cirurgião-dentista no último ano (61,6%) (p=0,991), sendo que a prevenção (p=0,22), a dor (p=0,05) e a estética (p=0,013) as justificativas mais assinaladas. Conclui-se que a maior parte dos participantes possuía informações adequadas sobre o assunto abordado e a variável gênero apresentou influência na freqüência de escovação e no motivo da visita ao cirurgião-dentista.