Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir pro rodapé

Pesquisa Científica

v. 18 n. 45 (2009): ROBRAC

Uso do chá de Punica granatum (romã) no controle da aderência de bactérias orais em ligaduras ortodônticas

  • Fabiane Schreiner
  • Giuliano Retzlaff
  • Márcia Fernanda de Rezende Siqueira
  • Eluise Cristina Rezende
  • Luzia Chaves Simão
  • Vitoldo Antônio Kozlowski-Junior
  • Elizabete Brasil Santos
Enviado
março 20, 2010
Publicado
março 21, 2010

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a ação antimicrobiana e conseqüente inibição da aderência de microrganismos da saliva sobre ligaduras ortodônticas elásticas, do chá proveniente da infusão das folhas de Punica granatum (romã). Trinta ligaduras elásticas foram submersas em saliva e incubadas a 37°C/1h. A seguir, as ligaduras foram lavadas em solução fisiológica esterilizada e transferidas para tubos contendo 5 mL de solução fisiológica esterilizada. Antes deste passo, 10 ligaduras foram submersas em chá de Punica granatum por 5 minutos, 10 em clorexidina (controle positivo) e 10 não receberam nenhum tratamento (controle negativo). Após intensa homogeneização, alíquotas de 0,1 mL foram semeadas, em duplicata, em agar BHI. Após incubação a 37°C/24/48h, verificou-se o número de ufc/mL de microrganismos recuperados de cada ligadura. Com o uso do chá de romã, a média de ufc/mL recuperada foi de 9,166±4682,00, significativamente inferior ao controle negativo, com 20356,00±9367,80 ufc/mL (Teste Tukey, p<0,001), entretanto a ação da clorexidina (73,00±92,62 ufc/mL,) foi significativamente superior à do chá de romã (Teste Tukey, p<0,01). Os resultados sugerem a possível utilização do chá de folhas da romã como um meio alternativo ou adjuvante de controle químico do biofilme dental em usuários de aparelhos ortodônticos.